terça-feira, 7 de junho de 2016

coração do xisto (FOFIS)

 Isto é para ti, isto é para nós, na medida em que me enches de algo tão grande e poderoso que eu abraço, que me fazes sentir... que me amas, que me adoras, que te fundes em mim como a rocha mais sólida da terra, mas fluímos pelo ambiente como água leve, pura e cristalina, absorvendo todos os momentos, criando memórias, registando recordações, vivendo vivências, experimentando o único, e sê-lo afincadamente e repetidamente pelas eras,...
O toque se mistura com o tempo escasso, o tempo de estar sempre a teu lado, que voa, esvoaça, passa depressa, mas no fundo passa devagar porque fazemos dele um bem precioso, um bem que flui e se dispersa invisivelmente... Sente, que eu também sinto o mesmo, o mesmo e o único, muito além das simples palavras que dizemos, e nós sabemos que sim, no olhar, nesse toque, nas mãos e nos "entrenós" e veias salientes, nos entrelaçamos, nós entrelaçamos, e estamos sempre a entrelaçar, e a entrançar, materiais de pureza, natureza de cores e texturas brilhantes, pelos montes e bosques, por onde quisermos, sempre estaremos, mais do que juntos, mais do que unidos, decididos a percorrer qualquer estrada e trilho, com aquele brilho de meninos, com aquilo que sentimos, e sem nós dois não seríamos, um e só um, mas somos fofis... somos um, somos tu e eu e eu e tu, somos a terra, a água e o ar, somos o fogo que ofega o respirar, ou o calor omnipresente em cada raiar de sol que apaga o dia anterior... temos os dias, temos as mãos... basta olharmos, sentirmos... caminharmos... num mundo cheio de maravilhas, esperando serem descobertas e contempladas, e claro, e sem dúvida, registadas!!!

Coração do xisto, que me embalou, para ti, para mim e para nós...
Insisto, e hoje sou, hoje és... um só...

       

A magnífica praia de Vila Nova de Milfontes, repleta de calhaus rolados, sarapintados de linhas brancas, de padrões incríveis, ...
Costa selvagem...
MR

by Rui Faria
Enviar um comentário