segunda-feira, 14 de março de 2016

o Galeirão... e o Pântano


Esquivo e escondido, pelos meandros do pântano, pelas águas silenciosas e calmas, pelo silêncio que impera no ar e pela força de querer observar uma espécie enigmática que me mostra todos os anos e todas a épocas, encantos que me maravilham... o corpo altivo e as penas escuras, o nadar efeminado, e a áurea mística da envolvente pantanosa, me fazem embalar, nos sons silenciosos e na observação delicada dos galeirões... do galeirão, e do pântano... 

Mamodeiro, by Rui Faria
Enviar um comentário