sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

árvore despida


Árvore triste na sombra da manada, alerta e convicta que a vegetação ainda dará muitos nutrientes, ali próxima, naquela suave encosta, naquele monte duro das giestas e de incêndios antigos...
Árvore morta e solitária de ramos desapegados. beijados pelo ar frio matinal e pelo incessante e incansável tempo que passa por eles invisivelmente, e aparentemente sem causar dano ou injúria nos pálidos ramos candelabro, ramificação resistente, imparável e imóvel, desgastada, polida, velha, morta, um dia cairá...

serra da cabreira / by Rui Faria

Enviar um comentário