quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Frio (SNOW)


O Inverno cai na paisagem e o frio instala-se, nada podes fazer para lhe escapar, ele procura-te e encontra-te. Provoca-te arrepios pelo facto de não estares adaptado às baixas temperaturas e adormece-te a face, mas pode "aquecer a alma". Na chuva que cai torrencialmente, ou nos aguaceiros que se abrem do céu e tão depressa se fecham, que hidratam os solos sedentos e que aumentam caudais e que podem devastar locais, e que podem molhar e que molham mesmo! Caminha à chuva sem impermeável e com a pele à mostra e não te esquecerás do poder que tens, e nem te preocupes com os resfriados, olha para o céu e desfruta. Abraça o inverno como um tempo presente, um tempo de agora, um tempo de regeneração da vida, governada e adormecida, onde as sementes e os animais envoltos e presos pela camada geológica da terra, aguardam pelas temperaturas amenas e o doce ar primaveril.
Mas o inverno não dá descanso às árvores caducifólias, e depois de muito outono, ventoso e chuvoso, que as deixa completamente despidas, compreendo, claro que sim, pois, além de todas as respostas em relação ao ato de perder as folhas, também há um que quero referir, sim há, porque as copas sem folhas são como balões furados, e sem atrito às fortes intempéries, passam pelos ramos e raminhos mais facilmente, e não danificam tanto a a árvore. "Mas então e as árvores de folha perene?". Foi apenas uma suposição, um dos vários motivos por que as árvores de folha caduca perdem as folhas, mas também não se pode esquecer que as árvores de folha caduca são o mais altas em maioria, que as de folha perene, à excepção de pinheiros e coníferas, e ora bem, sim, estes também suportam as piores intempéries que se podem imaginar, seja no orla costeira ou no alto das montanhas, seja até em locais expostos.


Mas o inverno é um manto frio e gelado que absorve a paisagem de tal maneira profunda, e com uma mudança, perpetrante na vida dos seres mais fracos que sucumbem, naturalmente, com a mudança das estações ou os que, por não serem fortes o suficiente, também perecem sob as duras condições invernais! Não que a península ibérica tenha locais onde o inverno seja altamente rigoroso, até porque em muitas zonas, sobretudo planaltos nortenhos, altas serras e as cordilheiras, impõem desafios na vida selvagem que os superam com diferentes adaptações e biologias, algo dir-se-à, de natural!


Frio que entorpece, frio que arrepia de novo, frio das temperaturas negativas, gelado, nevoso, chuvoso, calmo num dia ensolarado aprisionado pelas geadas...
Viva o frio!



Felizes dias de amor, saúde e paz. Não há escala para a bondade, e esta nunca é demais, recordai o resto da vida, e não só neste dia. Todos são importantes, amem-se e amem o mundo, cuidem-se e cuidem do mundo! Ele vos recompensará!

by Rui Faria

As imagens acima, foram retratadas no espetáculo cenário natural no complexo de serras do Marão.



Enviar um comentário