segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

dunas paramos


Um pequeno reduto dunar ainda incrivelmente bem preservado a sul de Espinho e a norte de Esmoriz, com um esplêndido matagal de madorneiras Artemisia campestris em areias compactadas e antigas que ao mesmo tempo abriram a porta à fixação de fetos, musgos, líquenes e outras plantas pouco habituais neste meio dunar. O primeiro lance de dunas como podemos ver na imagem é fortemente influenciado pelos ventos atlânticos e de certa forma pela intensa pressão antrópica sobretudo nos meses quentes. Mas é uma lance como estava a dizer, com plantas altamente específicas que só aqui se encontram, aquele chamado grupo de exclusivas deste habitat,...
Mas sem dúvida que o destaque vai para as madorneiras antigas e lenhosas que prosperam na duna secundária, um dos mais belos que já vi em toda a costa norte de Portugal.
Enviar um comentário