terça-feira, 25 de agosto de 2015

Corema album ao detalhe!


No pinhal de Cortegaça, o verão impele um dos odores mais singulares destes sistemas arenosos.  
Os próprios aromas do pinhal são indistinguíveis mas o deste arbusto está em outro patamar. Com as suas bagas brancas, polpudas em parte, brilhantes por outra, não escapam aos olhos dos vertebrados. Mas agora, que escrevo isto, estou a pensar no porquê da sua coloração branca, e desculpem-me se estiver enganado, mas, no momento não me está a ocorrer mais nenhuma espécie ibérica com bagas brancas (mas vou investigar!), o que é certo é que terão um propósito ou vários.



Vista "aérea" da formação arbustiva.



 O tamanho das bagas da camarinheira
comestíveis e a sua proporção na palma da minha mão. Abaixo as sementes que se encontram no interior do invólucro branco e do líquido semi-açucarado.



by Rui Faria, em pinhal de Cortegaça

Enviar um comentário