sábado, 25 de julho de 2015

Arbutus unedo ( breves notas)


Não é novidade que o medronheiro alcança a par do sobreiro um território vasto pelo norte, centro e sul do país, e aqui nestes montes xistosos logo a sul do rio Ave, na direcção Trofa, pude encontrar exemplares bem grandes, que com o abandono progressivo das terras assim se tornaram. Não tão massivos como os imponentes do vale do Gerês, mas ainda assim suficientemente grandes para conferirem alguma importância e destaque ao local. É uma árvore que atendendo ao que tenho visto, ou apresenta-se muito ramificada como é este o exemplo da imagem, ou na forma de árvore propriamente dita com um só tronco, mas isso vai de certa maneira depender e/ou ser influenciado por variadíssimos fatores.


Coloquei uns breves olhos no ritidoma e na folhagem deste e outros medronheiros na tentativa de encontrar alguns invertebrados, nas primeiras horas da manhã nublada do final de Julho, mas sem sucesso, viro-me então para os carvalhais e as suas pequenas bolotas em formação!


A julgar pela folhagem, estes exemplares têm resistido bem aos incêndios que uma vez por outra lá varrem estes locais, apesar, ou talvez por isso, da proximidade com campos agrícolas em atividade e uma estrada nacional movimentada a escassos metros.

Enviar um comentário