quinta-feira, 26 de março de 2015

não são garranos...


Não são garranos, mas aqui nas serras de fafe (Aboim) traz-me uma certa nostalgia ver este conceito de manada!
Mas são equídeos, e as nossas paisagens precisam deles. É preciso recordar que hã muitas espécies de flora que evoluiram na presença de grandes herbívoros, associadas ao pisoteio constante de animais possantes, adquirindo esta (flora) especializações interessantes. Basta olharmos para algumas zonas de Africa, repletas de diferentes espécies de animais de grande porte ( infelizmente já muito dizimados) para percebermos como seria a paisagem e o "impacto" que os herbívoros causam na mesma. Por isso é que transpondo toda a esquemática da vida selvagem africana e colocando-a aqui na península ibérica, fico com duas frases de reflexão: ou nós teríamos densos carvalhais maduros, "zero herbívoros" e uma diversidade de plantas herbáceas muito pobre, ou teríamos um território muito semelhante a um parque com uma diversidade grande de animais, pradarias e pequenos bosquetes!
Enviar um comentário