domingo, 5 de abril de 2015

Amostra da grande diversidade de dípteros do Febros e uma surpresa!

Neste dia primaveril de Abril os campos e os bosques na orla do rio febros fervilham de vida.


Estes, esvoaçam pelas clareiras ou pelos raios de sol que irrompem pelos ramos de folhas frescas.



Tal como a neve, o algodão dos amentilhos femininos dos salgueiros desprende-se e cai suavemente no solo florestal.



E a planta que para mim suscitou entusiasmo pois nunca a havia visto nesta zona, confesso até que nem conhecia populações desta espécie no douro litoral (ou se as vi, pelo menos não me recordo!).
O selo-de-salomão Polygonatum odoratum encontrava-se em flor neste bosque de salgueiros e carvalhos por perto. Contei pelo menos 10 indivíduos, possivelmente haverá mais, bem como noutras partes do bosque, o problema é que este foi recentemente cortado em parte, em que foi deixada uma grande clareira. A ver vamos como a recuperação deste lugar está e irá ser nos próximos anos. Certo, é que haverá olhos apontados na direção deste magnífico lugar a montante do parque biologico de gaia e as suas portas, no sentido de salvaguardar um tesouro único e desconhecido no douro litoral.
Num breve resumo menciono alguns dos aspetos mais relevantes deste lugar; o primeiro remete-se á fantastica diversidade de plantas típicas de bosques, Fragaria vesca, canastro, urtigas, viola sp., prímulas (agora em flor), e muitas outras; depois há (ou havia?!) os sabugueiros (Sambucus nigra) e os sanguinhos arbóreos , etc,... os magníficos salgueirais e amiais e muitos mais,...

Polygonatum odoratum

Enviar um comentário